Pular para o conteúdo

Conceito pré-concebido

agosto 2, 2011

As pessoas têm pré-conceito. Pra mim isso é fato. Ou dizendo de outra forma: as pessoas têm conceitos sem fundamentos.

Conceitos sem fundamentos são opiniões, e não conceitos. Conceitos são formados a partir de argumentos, fatos, experiências. O que você acha de expressões ditas por aí? Ou como você se expressa ao falar sobre algo que não tem certeza? Se você não sabe, nunca viu, nunca foi, nunca experimentou, você tem sua opinião a respeito do assunto.

Percebo a dificuldade da maioria das pessoas em mudar de opinião depois de serem expostas a argumentos. E as discussões embasadas em opiniões, levam a algum lugar? Eis que surgem discussões sem fim. É difícil ouvir algo parecido: “…eu não sei a respeito. Você tem sua opinião e eu tenho a minha, vamos continuar nossas vidas?

Creio que a melhor forma são todos exporem seus conhecimentos sobre o assunto e também suas opiniões, se concordam ou não. Quem souber mais a respeito do assunto fica com a palavra naturalmente. Se alguém não tiver fundamentos e quiser impor sua opinião,diga: “quem seu eu pra mudar sua opinião? Já está formada.” Pronto, assim ela ficará quieta.

Você gosta de jiló? E de joelho de porco? Já comeu? Já viu o prato alguma vez? E se fosse apresentado como um pernil suíno assado, qual seria sua impressão sobre o prato?

Se na prateleira de água mineral engarrafada no supermercado tivessem garrafas transparentes e garrafas pretas lado a lado, qual você compraria?

Qual a força de seu rigor à mudanças de padrão? Compensa mantê-la do jeito que está?

É possível sim mudarmos nossos padrões. Crescemos e fomos criados construindo nossos valores de acordo com o que fomos expostos. Podemos sim mudar esses valores para melhor.

Quando for responder não gosto, não quero, acho melhor do meu jeito, isso é coisa de criança, isso é coisa de velho pare e pense. Já tive essa experiência? Já passei por isso? Já comi essa coisa? Já fiz isso de forma diferente?

Dê oportunidade a você mesmo para novas experiências. Escute o outro, avalie, assuma que você tem conceitos sem fundamentos e/ou pré-estabelecidos, seja receptivo ao novo até em pequenas coisas… um novo caminho, uma marca diferente….

Aumente seus limites, experimente.

Agronegócio brasileiro e sua distribuição de insumos.

julho 27, 2011

Tema: Distribuição de insumos no agronegócio brasileiro.

Segue pesquisa realizada e a apresentação em seguida.

Arquivos disponíveis para download no Slideshare.

Texto:

Apresentação:

Comentários são bem-vindos.

Um abraço!

Qual a extensão de sua reputação?

julho 12, 2011

Curso vendas B2B: De Vendedor para Gerente de Clientes, 08 de Julho de 2011.

Oferecido por Ricardo Jordão Magalhães (BizRevolution).

MUITO INTERESSANTE.

Vendas B2B é o comércio entre empresas, diferente do comércio varejista onde quem compra é o consumidor final.

O processo de vendas neste caso tem muitos pontos diferentes se comparado com o comércio varejista.

Principal mensagem do curso para mimsua reputação deve chegar aos outros antes de você.

Principais pontos abordados:

 

– Ninguém decide nada sozinho (nem pensa sozinho).

Essa é a principal causa dos negócios “que estão 99% fechados” não serem fechados.

O vendedor deve identificar, envolver e influenciar o maior número de pessoas envolvidas no processo de decisão de compra da empresa cliente.

No caso dos negócios que estão 99% fechados não serem fechados, há grande chance de a causa ser que a quantidade de pessoas envolvidas pelo vendedor no processo de decisão de compra da empresa cliente foi insuficiente.

– Disponibilidade de informação

Informação gratuita e disponível na internet.

Atualmente a apresentação da empresa tem muito menos valor  (ou nenhum) do que tempos atrás.

Hoje o cliente busca informações sobre o fornecedor antes de contatá-lo. Não é necessário receber um vendedor “somente” para apresentar a empresa.

O que você precisa?

Os clientes de hoje não aguentam mais as técnicas de vendas utilizadas.

Atualmente a força de vendas deve se interessar pelo cliente, estudar a empresa cliente e levar informações que os clientes não encontram facilmente.

Mercado atual, tendências e perspectivas, estudos técnicos comprovando o produto.

O cliente quer uma conversa interessante,  e para isso é necessário assunto. E qualquer assunto. O vendedor tem a função de informar, conversar, esclarecer, conviver, ensinar, perguntar sobre tudo.

-Abordagem de vendas

O diferencial de vendas de hoje mais valorizado pelos clientes é a abordagem de vendas.

Os clientes devem sentir vontade de contar como são atendidos.

O cliente que deve dizer o diferencial do vendedor (ou da empresa), e não o vendedor impor seu diferencial ao cliente.

*Interessante: inversão sugerida da abordagem de vendas comumente utilizada.

Abordagem comum: o vendedor apresenta sua empresa, seu produto e suas soluções, e por fim a aplicação na empresa cliente.

Abordagem sugerida: atacar primeiramente o problema/oportunidade encontrado no cliente, colocando-o em evidência e chamar sua atenção. Para depois apresentar a solução proposta e por último apresentar a empresa representada pelo vendedor.

Resumindo, todo vendedor deve estar preparado para responder à pergunta:

Curso 10. Filosofia totalmente aplicável em nosso dia-a-dia.

Como expandir sua reputação (ou de sua empresa)?

Propaganda, Plano de Visita, Artigos (white papers), e-news, testemunhais de clientes, parceria com outras empresas, citações, eventos, seminários, web-seminários, website, blog, estudos e análises, atividades voluntárias/favores…. e falando sentimentalmente, tudo isso com o coração!

Ricardo, parabéns pela BizRevolution.

Até mais!!

Presentaciones… (en español)

junho 9, 2011

Seguem duas apresentações em espanhol (disponíveis também no Slideshare).

1) Dados históricos de produção, importação e exportação de carnes na América Latina:

2) Produção mundial de carne bovina e perspectivas:

Aquele abraço!

INHOTIM

maio 16, 2011

Vale a pena!!

Instituto Inhotim, em Brumadinho-MG do lado de BH (+ou- 65km), saindo de Belo Horizonte dá pra ir e voltar no mesmo dia.

É um “museu” de arte contemporânea. Entre aspas porque é um museu ao ar livre, vamos dizer um jardim botânico enorme (área total de uns 90ha) onde há várias obras ao as livre e várias galerias espalhadas, como vários pequenos museus. Há galerias no centro do parque e algumas ficam em até 800m distantes. Caminhando ou com carrinho de golfe (serviço pago).

Muito bom ir lá visitar. As exposições das galerias são temporárias e as obras externas são permanentes.

O serviço prestado é ótimo. Tudo muito limpo, organizado, profissionais sorridentes, orientações, inclusive para idosos e pessoas em cadeira de roda. Transporte dentro do parque e acesso totalmente planejado.

Restaurantes e lanchonetes, pois a visita dura várias horas ou o dia inteiro.

Fotos próprias (não é permitido fotos dentro das galerias)

Este slideshow necessita de JavaScript.

ou as do Google Imagens: Inhotim.

Eu gostei.

Resumo palestras: Economia e Comércio Exterior

abril 1, 2011

Semana de conteúdo econômico:

Terça-feira 29/03:

“Brasil no Mundo: Vendemos produtos ou eles são apenas comprados?”

Paulo Cesar Catelan Mendonça – Professor FAAP-SP (Comércio Internacional e Logística)

Quarta-feira 30/03:

“Brasil: Aproveitando a melhor década da história”

Ricardo Amorin – Economista (Consultoria e palestras pelo Brasil e exterior)

Boas informações.

Na primeira foi abordado o comércio exterior do Brasil.

Logística: é necessário organização, equipe (profissional capacitado), deslocamento e objetivo.

Crise 2008: crise bancária, especulação imobiliária. Desta forma Paulo imagina que a próxima crise será de commodities, pela especulação dos fundos de pensão americanos, grande causa do aumento destes preços.

Estamos preparados? O professor bateu bastante nessa tecla, temos profissionais qualificados?

Globalização: você está globalizado ou é globalizado? Segundo Paulo Mendonça nós somos globalizados. Não importa como nos posicionamos, dentre tudo que utilizamos em nosso dia-a-dia alguma coisa é importada. Principalmente da China. E qualquer comportamento no exterior nos afeta de alguma forma.

PIB brasileiro de 2000 a 2010 teve crescimento acumulado, porém constante. Já o comércio exterior teve crescimento exponencial. “Estamos preparados?”

*Enorme dívida interna nacional; acessibilidade aos portos; participação mínima na OMC;

Sendo que no comércio exterior, o volume exportado está constante e o preço está aumentando. Já o volume importado está em alto crescimento e o preço constante.

A exportação é nosso maior problema. É preciso passar por mais de 60 órgãos públicos, dificuldade e demora para abrir uma empresas no país e encrgos trabalhistas altíssimos são as três principais causas para o baixo crescimento das exportações nacionais citadas por Paulo Mendonça.

Concluindo, “o Brasil não vende, ele é comprado”.

Exportamos basicamente commodities. É preciso beneficiar nossas commodities e ir vendê-las como produtos. “O profissional brasileiro espera o comprador vir até ele”.

Desafios a serem superados: profissionais, infra-estrutura e governo.

—————

Na segunda, Ricardo Amorim iniciou dizendo que tinha como objetivo “alterar radicalmente nossa forma de enxergar a economia mundial”. Radicalmente eu não sei, mas que alterou, alterou. Bastante conteúdo. Vamos lá:

Crise nos EUA: redução de crédito, desemprego, baixos salários = redução do consumo.

A dívida está nas mão dos governos. Começou pelo consumidor de crédito, passou aos bancos e os governos injetaram dinheiro assumindo a dívida. Isso nos EUA e Europa.

Maior oferta de dólar no mercado e dimunuição do consumo americano, seu preço diminui: causa da queda do dólar no mundo inteiro.

China: mão-de-obra de sobra = salário baixo (“alta oferta de mão-de-obra”)

População altíssima, muito consumo básico: energia e alimento. Além do êxodo rural, cidades em crescimento demandam muita matéra-prima para construção civil.

Índia: Não tem mais espaço para plantio de cana-de-açúcar. É necessário importar ou melhorar produtividade para abastecimento interno. E é “a próxima bola da vez” depois da China em crescimento e desenvolvimento.

A partir de 2000 o crescimento dos países emergentes foi maior do que os países desenvolvidos, esse quadro teve início antes da crise de 2008. Isso por causa da abertura comercial chinesa e sua entrada na OMC.

“O Braisl está remando a favor da maré, o momento é bom. Ao contrário dos EUA e países europeus”.

“O Brasil hoje é fonte de estabilidade, e não de instabilidade como sempre foi considerado”.

Principalmente para os setores de serviços e comércio. Setor industrial se complica ao competir com matéria-prima barata chinesa.

Dólar em queda, preço do petróleo aumenta. Consumo de energia chinês e indiano em crescimento. E o Pré-sal brasileiro, boas perspectivas pela previsão de aumento do preço do petróleo.

Na Europa, os governos precisam gastar menos, poupar mais, reduzir custos pra se recuperarem da crise. Desaceleração do crescimento.

“Irlanda e Grécia já tiveram financiamento do FMI. Portugal e Espanha são os próximos. Em um ou dois anos Bélgica e Itália também irão fazer parte deste grupo. Recursos do FMI têm fim, e depois?”

Atualmente há empresas brasileiras entre as maiores do mundo em vários setores. Bancos nacionais compraram bancos americanos, empresas alimentícias comprando empresas estrangeiras. O maior banco do mundo é chinês (ICBC). A realidade mundial está mudando. “Estamos acostumados com o Brasil que nunca dá certo. Precisamos de atenção para eliminar esse preconceito, é possível o Brasil dar certo”.

A distribuição de renda e demográfica nacional estão favoráveis. Mais gente nas classes C e AB, e estamos na transição entre baixa natalidade e crescimento de idosos. Maior população está entre 18 e 55 anos.

Como no mundo, regiões ou países com mais espaço e mais gente (pobres) têm maior crescimento. China, Índia e Brasil principalmente. Aqui o norte do país possui maior crescimento do que o sul. Isso altera até o fluxo migratório.

Mesmo com a corrupção, má infra-estrutura, tributação e outras pedras pelo caminho essa será a melhor década para o Brasil diz Ricardo Amorim. “Por isso que depois de nove anos em Nova Iorque voltei para São Paulo. Chegou o momento“.

E a copa, vai sair? Em Outubro de 2014 teremos eleições. “Podemos nos surpreender por causa disso”.

Aquele abraço!

Buy-ology

março 29, 2011

Buy-ology – Truth and lies about why we buy

Martin Lindstrom

Muito louco esse livro. Interessantíssimo.

Agradeço ao meu primo Mario que me deu de aniversário ano passado.

Esse são meus comentários. Quem quiser mais que comentários pode ler um resumo que fiz do livro no slideshare.

– O autor é especialista em MKT (Neuromarketing)

– Pesquisas de mercado tradicionais (perguntas para consumidores) praticamente NÃO FUNCIONAM.

– Suas pesquisas são com RESSONÂNCIA MAGNÉTICA CEREBRAL. Análise por imagens de qual/quais regiões cerebrais entram em atividade de acordo com o estímulo recebido.

– As imagens anti-fumo das embalagens de cigarro estimulam a região cerebral do PRAZER. Ou seja, estimulam os fumantes a fumar mais.

– Milhões de dólares PERDIDOS em investimentos de MKT.

– Neurônios-espelho. Nós imaginamos inconscientemente as sensações que sentiríamos se tivéssemos aquele produto/serviço que desejamos.

– Somos bombardeados com mensagens que nos influenciam para comprar e nem as percebemos!

– Rituais, superstições e hábito. O ser humano necessita e isso é utilizado para comprarmos.

– Fé, religião e marcas. Alguma semelhança? SIM!

– Sensações e sentimantos. Será que somente divulgar a imagem de seu logo adianta?

Neuromarketing e a previsão do futuro para marcas/produtos.

– Sexo vende? Sim e não.

O livro é ótimo para sabermos as ferramentas de MKT a que estamos expostos no dia-a-dia.

Também gostei porque explica muito sobre nosso comportamento em geral, e desta forma podemos observar nosso comportamento e o dos outros, que não se observam. Interessante.

Aquele abraço!

Sinônimo?

março 23, 2011

> 60 anos = dor nas costas?